Pesquisar Categoria

Geografia

Cai chuva dos anéis de Saturno

Estudo publicado na «Nature» realizado por investigadores do Laboratório de Propulsão a Jacto, da NASA

A atmosfera superior de Saturno contém água. Isto os cientistas já sabiam. O que não sabiam e descobriram agora é que a água vem dos anéis que rodeiam o planeta. Na investigação publicada na «Nature», explica-se que a chuva cai em grandes áreas deste planeta, influenciando a composição, estrutura e temperatura da atmosfera. “Saturno é o primeiro planeta a mostrar uma interacção significativa entre a atmosfera e o seu sistema de anéis”, diz James O’Donoghue, autor principal do estudo.

Esta chuva tem como efeito principal ‘apagar’ a ionosfera de Saturno, reduzindo drasticamente a densidade de electrões nas regiões em que cai. Este efeito explica por que razão, durante muitas décadas, se observaram densidades electrónicas invulgarmente baixas em algumas latitudes do planeta.

Um dos principais motores do ambiente e do clima da ionosfera de Saturno, através de vastas extensões do planeta, são partículas dos anéis situados a 200 mil quilómetros, diz Kevin Baines, co-autor do artigo e investigador no Laboratório de Propulsão a Jacto, da NASA.

No início dos anos 80, as imagens da sonda Voyager, da NASA, mostravam duas a três faixas escuras em Saturno. Os cientistas teorizaram que a água poderia ter caído nelas a partir dos anéis. Essas bandas só voltaram a ser vistas em 2011.

As observações recentes com o telescópio Keck II, do Observatório Keck, em Mauna Kea, no Hawai, mostraram essa interacção entre os anéis de Saturno e a ionosfera. Quando os cientistas fizeram o rastreio do padrão de emissão de uma determinada molécula de hidrogénio formada por três átomos em vez dos habituais dois, observaram uma série de faixas claras e escuras cujo padrão imitava os anéis do planeta.

As investigações vão continuar com novas observações da nave espacial Cassini.

Regiões de Portugal: Uma visão geral

Portugal é uma das regiões mais antigas da Europa, tendo estabelecido as suas fronteiras, que se mantêm iguais desde então, em 1297. Portugal é um reino independente desde 1143 quando o primeiro rei de Portugal, Dom Afonso Henriques confrontou a sua mãe, Dona Teresa de Portugal, Condessa de Portugal. Teresa insurjiu-se contra o Reino de Leon e foi apontada com rainha pelo Papa, apesar de ter sido forçada a aceitar Portugal como uma pais subjacente a Leon. Após o seu envolvimento amoroso com Fernando Perez de Traba, nobre da Galíza, o seu filho Dom Afonso Henriques tomou o seu lugar, derrotando-a, contando com o apoio do Bispo e da nobreza, na batalha de São Mamede em 1128, declarando assim a independência de Portugal, em relação ao reino de Leon.

Portugal está localizado no Oeste da Peninsula Ibérica, idealmente posicionado entre Espanha e o oceano Atlântico. A sua localização geográfica ao longo da costa Atlântica é a razão pela qual se tornou rapidamente um pais á beira mar, dando assim mote a séculos de descobertas e aventuras marítimas.

1415 foi o ano que definiu os séculos que viriam, onde a inovação, visão e coragem que até então não estavam enraizadas na história do país, foram as principais qualidades emergentes. Sob a orientação do Principe Henry, “O navegador”, os Portugueses içaram velas em viagens épicas que fariam deles os primeiros a descobrir os caminhos marítimos para a India, Brasil, China e Japão, enquanto fundaram igualmente raizes em ambas as costas Africanas.

Vestígios desta presença mundial histórica são marcas da cultura Portuguesa. O idioma Português tornou-se um dos mais falados em todo o mundo e os Portugueses foram previligiados por terem sido expostos a tantas civilizações diferentes.

As vantagens naturais de Portugal, como o facto de ser um pais solarengo com uma geografia diversa, fizeram do país um destino de férias bastante escolhido, oferecendo condições túristicas modernas e meios de acomodação personalizados. Visite Portugal e descubra por si mesmo.

Os arquipélagos do Açores e Madeira são afávelmente denominadas como Paraiso do Atlântico (Açores) e Pérola do Atlântico (Madeira). Descobertas durante a era dourada dos descobrimentos, cada arquipélago tem as suas intemporais tradições e atividades culturais.

As regiões de Portugal estão divididas da seguinte forma:

Porto / Região Norte

              A cidade mais famosa da região Norte, deu nome ao seu famoso vinho e a Portugal.

Deverão ser percorridas a pé as zonas mais célebres como a zona ribeirinha assim como a sua vibrante baixa. A Visitar: Palácio da Bolsa, Igreja de Cedofeita, a torre dos clérigos (o ex libris da arquitetura barroca da cidade do Porto), a igreja de São Francisco, de origem Romana com interiores recheados de promenores dourados e a igreja do Carmo, com exteriores em azulejo. Em termos de museus, temos o Soares do Reis, Casa de Serralves (arte contemporânea), Casa Museu de Guerra Junqueiro, e o museu de estilo romântico Quinta da Macieirinha.

Região Centro

A Natureza abençoou esta região com águas termais, que por sua vez originaram o aparecimento de cidades de Spa, tal como Curia e Luso. A generosidade da natureza estende-se também ás paisagens: florestas ancestrais cobrem as montanhas ajudando a preservar a beleza natural, que encontra o seu perfeito paradigma nos bosques do Buçaco. Mosteiros, conventos, castelos e igrejas são as testemunhas de um património histórico, cujo mérito valeu reconhecimento por parte da Unesco.

Lisboa e o Vale de Tagus

Em todo lado podem ser encontrados monumentos que remetem para a grande era dos Descobrimentos, casas pitorescas cujas fachadas são revestidas de azulejos ornamentados. Quando a tarde se transforma em noite, os elétricos amarelos  continuam a subir e descer as colinas da velha capital, enquanto os sons tradicionais do Fado dão vida a muitos jantares á luz das velas nas mesa dos restaurantes, ou nas casas. Mas a capital também proporciona uma ampla oportunidade para ver celebrações populares, fazer compras e para disfrutar da vida noturna ao longo das margens do rio. Com o porto e as marinas localizadas bem perto, os desportos aquáticos são igualmente uma atração.

Alentejo

Os visitantes da região do Alentejo são inicialmente surpreendidos pelos traços marcantes de sucessivas culturas: mesas de madeira e dromoleques, vestígios Romanos e Árabes misturam-se com sinais mais recentes do Cristianismo, exemplificado pelos numerosos castelos medievais que se destacam na vasta planície.

Esta região tem a mais alta amplitude térmica do país (desce até 5 graus C ou sobe até aos 33 graus C) e é também a região com uma menor densidade populacional com horizontes bastante abertos, onde o ritmo de vida segue os sons calmos de canções regionais. 

Algarve

Esta região brilhantemente colorida, com as suas figueiras, laranjeiras e amendoeiras florescidas, é também a região mais verde e fértil. A costa consiste de grandes extensões de fabulosas praias, quebradas pelos penhascos avermelhados e fantásticas grutas.

Para além da vasta oferta em termos de desportos aquáticos (as marinas de Vilamoura e Lagos merecem espcial destaque), existem outras alternativas tais como campos de ténis, campos de golf famosos, hotéis luxuosos e uma excitante vida noturna.

Arquipélago dos Açores

Até os mais céticos visitantes dos Açores serão surpreendidos pelos lagos verde esmeralda e azul safira, pradarias férteis, cones e crateras vulcânicos, hortênsias e azáleas coloridas, igrejas do século 15 e casas majestosas. Esta região lendária é constituída por 9 ilhas com nomes poéticos e tem temperaturas amenas praticamente o ano todo (entre 14 e 22 graus C) e é um abrigo pacífico para uma população de 250000 habitantes, para quem as palavras stress e poluição são raramente ouvidas. 

Arquipélago da Madeira

O clima excecional da ilha da Madeira (entre 16 a 25 graus C) e a sua beleza natural fantástica fizeram dela um dos destinos turísticos mais aclamados. O seu aeroporto internacional proporciona uma conexão fácil com Portugal continental. As estradas em forma de serpente, que se estendem ao longo de árvores, penhascos e quedas de água, são uma verdadeira atracão por si só. Aproximando-se da ilha por via marítima, a Madeira oferece vistas inesquecíveis: as montanhas caem diretamente nos vales, a vegetação densa a crescer nas montanhas, separadas por penhascos ingremes, e com pontos que representam pequenas casas brancas. A linda seleção de flores e frutos tropicais, a temperatura amena, o oceano e as piscinas naturais, uma rica herança cultural, hotéis luxuosos e a vida cosmopolitana do Funchal são alguns dos encantos que